Fertilidade feminina e o estilo de vida da Mulher

Todo processo que envolve infertilidade, recai muitas vezes sobre as mulheres. No entanto, como citei em um artigo recente, os homens também possuem parcelas de culpa quando o assunto envolve fecundação. A fertilidade feminina é muitas vezes questionada pelo fato de ser a mulher a responsável pela geração de uma nova vida.

No artigo de hoje, vamos mostrar como hábitos diários podem ter influência negativa na questão da fertilidade das mulheres, sem mesmo elas notarem.

Fertilidade feminina e os riscos do mundo moderno

Hoje vivemos em ambientes repletos de imediatismos e correria, com muitas soluções ineficazes que acabam por minar a saúde e consequentemente a fertilidade de muitas mulheres.

Infelizmente o mundo moderno está repleto de pequenas armadilhas que incidem diretamente sobre a fertilidade feminina. Fiz uma pequena lista com o intuito de demonstrar como substâncias e situações corriqueiras do dia a dia interferem negativamente na saúde de muitas mulheres.

De acordo com meus estudos e levantamentos as principais situações que afetam a fertilidade feminina são:

  • Presença de dióxido de titânio no dia a dia;
  • Contaminação por bisfenol;
  • Estresse;
  • Maus hábitos.

Agora vou mostrar, como as mulheres têm sua fertilidade atacada sem saber.

Presença de dióxido de titânio no dia a dia

O dióxido de titânio é um pigmento de coloração branca e de origem inorgânica que é amplamente utilizado na composição de cosméticos, tintas e também em corantes alimentares. Bloqueadores solares, muito utilizados pelo publico feminino também possuem essa substância em sua composição, exatamente por sua propriedade de barrar a radiação proveniente da luz solar.

O que pouca gente sabe é que o dióxido de titânio interfere negativamente no organismo feminino, diminuindo a formação e liberação de novos óculos, contribuindo silenciosamente para a infertilidade de muitas mulheres.

Batons, pasta de dente, alimentos, tintas, roupas, e muitos outros objetos (e até mesmo alimentos) possuem o dióxido de titânio presente em suas composições.

Contaminação por bisfenol A

O bisfenol A (BPA) é um plastificante com origem orgânica, amplamente incorporado e outros tipos de materiais com a finalidade de promover maleabilidade e flexibilidade. Ele pode ser facilmente encontrado em recipientes plásticos como garras d’água, tupperwares, tintas em pó, brinquedos e muitos outros objetos.

O problema nesse caso, é que ao consumir água de garrafas com bisfenol ou alimentos que foram guardados e aquecidos em recipientes plásticos a mulher está se contaminando. Estudos sugerem que essa substância está interligada a doenças femininas como Síndrome dos Ovários Policísticos e desequilíbrios hormonais, que interferem negativamente na questão da fertilidade feminina.

Estresse

A exemplo do que ocorre com os homens, mulheres estressadas são afetadas do ponto de vista de fertilidade. Altas quantidades de cortisol e adrenalina, fazem com que ocorra desregulações de demais hormônios femininos, afetando assim a fertilidade.

Maus hábitos

Embora sejam menos frequentes nas mulheres, existe uma parcela do público feminino que possui maus hábitos diários. Dentre esses hábitos, podemos citar o consumo de álcool, o tabagismo, a má alimentação e claro, o sedentarismo.

A união de dois ou mais desses hábitos desencadeia complexos processos no interior do organismo feminino, afetando diretamente a fertilidade e diminuindo, ao menos momentaneamente as chances de fecundação e/ou desenvolvimento de processo gestacional.

Clínico geral é um aliado das mulheres

Embora possa se imaginar que em um primeiro momento a mulher busque ajude de uma ginecologista, é importante ter em mente, que no clínico geral ela tem um grande aliado para detectar alterações relacionadas a infertilidade.

Através de anamnese detalhada, averiguação de hábitos rotineiros e claro, solicitação e avaliação de exames laboratoriais, o clínico geral é capaz de diagnosticas baixos níveis hormonais ou demais condições de saúde que possam estar afetando diretamente a fertilidade feminina.

Com todas essas informações, é possível saber se a alteração na fertilidade é causada pelos hábitos de sua paciente, ou se existe uma origem mais profunda trazendo essa condição à tona.

Caso a origem seja mais profunda, de modo amigável e amplo, clínico geral e paciente, podem escolher um segundo profissional para reverter essa condição de saúde.

Para todas as mulheres em geral, é importante cada vez mais se atentar a rótulos de alimentos, cosméticos e aos poucos trocar os potes de plástico de casa por potes de vidro.

Além disso, adquirir hábitos rotineiros mais saudáveis, como alimentação de qualidade, prática de atividades físicas e até mesmo meditação, são de grande valia para manter-se fértil.

Caso você ainda tenha alguma dúvida sobre fertilidade feminina e queira a opinião de um clínico geral, é só marcar uma consulta entrando em contato comigo através desse link.

Add your comment or reply. Your email address will not be published. Required fields are marked *