Homeopatia: Saiba tudo sobre ela

Embora haja muito ceticismo em torno da homeopatia, podemos dizer que a prática se trata sim de medicina, embora seja uma medicina diferenciada.

Desde de sua criação até os dias atuais, é grande o número de pessoas que buscam tratamentos alternativos menos agressivos ao organismo. No entanto, isso levanta uma série de dúvidas e questionamentos, afinal o desconhecido aguça nossa curiosidade.

Se você também possui perguntas e busca esclarecimentos sobre a homeopatia, recomendamos que tire um tempinho do seu dia para ler o artigo a seguir. Você não irá se arrepender.

Surgimento da homeopatia

A homeopatia foi criada pelo médico Alemão, Christian Friederich Samuel Hahnermann, em meados dos anos 1800.

Essa técnica médica surgiu em decorrência da decepção de Hahnermann com a metodologia medicinal agressiva empregada na época, que não fazia uso de nenhum tipo de base científica para tratar os doentes.

Em 1790, em Stoetteritz, traduzindo do inglês para o alemão a matéria médica de William Cullen, médico escocês, observou uma explicação sobre a ação do quinino por este autor que não o satisfez. Achava Cullen que o quinino, sendo amarga, criava no estômago do doente, uma substância que era contrária à febre.

Hahnemann então resolveu experimentar a quinina, notando o aparecimento de sintomas semelhantes à maleita.Com sua memória invulgar recorreu a seus arquivos e verificou que os pacientes com maleita que ele tratara com quinino, e que apresentavam sintomas semelhantes aos obtidos em sua experimentação, tiveram uma recuperação excelente.Este feito foi à confirmação por Hahnemann, do postulado de Hipócrates “Similia similibus curantur”.

Em 1796, publicou suas conclusões em: “Ensaio sobre um novo princípio para a descoberta das forças curativas das substâncias medicamentosas, com algumas considerações sobre os já existentes

Ao discordar das literaturas, o médico resolveu então fazer uso da substância em si mesmo e descobriu efeitos curativos, anteriormente descritos por Hipócrates, considerado como pai da medicina.

A partir daí o médico alemão se dedicou ao desenvolvimento de uma série de compostos homeopáticos, com a finalidade de promover saúde sem os agressivos efeitos colaterais causados por medicamentos das mais variadas naturezas.

Princípios da homeopatia

A homeopatia é sustentada por 4 pilares: A experiência no homem, lei dos semelhantes, doses mínimas e medicamento único.

Além dos pilares, a homeopatia se sustenta em 3 princípios básicos. São eles:

  • Similitude;
  • Diluição;
  • Globalidade.

Explicaremos cada um deles de maneira simples e direta.

Similitude

O princípio de similitude é tratar uma doença com um composto natural que provocaria os mesmos sintomas que ela em uma pessoa saudável. No entanto, se usa uma dose muito pequena sem nenhum efeito tóxico.

Falando de maneira popular, pode-se dizer que a homeopatia é como uma vacina, que mostra ao organismo uma pequena parcela da doença, para que ele a reconheça e saiba como tratá-la por conta própria.

Diluição

A diluição está diretamente ligada à similitude. A quantidade de moléculas ativas de um determinado composto é diluída diversas vezes para tratar diferentes patologias sem causar danos à saúde dos pacientes.

Globalidade

Na globalidade, o paciente é avaliado pelo médico em sua totalidade, tanto física quanto psicologicamente, ou seja, na homeopatia, se leva em consideração a patologia de um paciente e suas características particulares. Por isso, cada tratamento é único.

Como é a consulta de um médico homeopata?

É importante deixar claro, que os médicos homeopatas são antes tudo, médicos que tiveram a mesma formação que qualquer outro profissional generalista da área, mas que se especializaram na área de homeopatia.

A consulta homeopática é um pouco diferente da consulta médica tradicional. O médico homeopata, inicialmente, faz uma avaliação clínica do paciente.

Em seguida, ele se atenta a alguns aspectos individuais do seu paciente, tais como qualidade do sono,preferências alimentares, sensibilidade a temperatura, sede, sentimentos, sonhos, vários sinais e sintomas que individualize o paciente, diante da doença que o aflige.

Após todos esses procedimentos, o paciente ainda é submetido a um questionário detalhado, que auxilia na determinação de um perfil homeopático do paciente. Por conta disso, é muito comum que dois pacientes com os mesmos sintomas e as mesmas doenças, geralmente são tratados com compostos homeopáticos diferentes.

Forma de apresentação dos remédios homeopáticos

Os remédios homeopáticos, de modo geral se apresentam sob a forma de pílulas, cremes ou soluções liquidas/aquosas extremamente diluídas.

Doenças tratadas com homeopatia

A gama de doenças tratadas pela homeopatia é bastante extensa. As mais comuns são:

  • Doenças respiratórias, como rinites, bronquite, asma e sinusite;
  • Patologias emocionais, como ansiedade, estresse e síndrome do pânico;
  • Disfunções gastrintestinais, como gastrites, úlceras, prisão de ventre, azia e diarreia;
  • Alterações hormonais, como hiper e hipotireoidismo;
  • Doenças endêmicas, como malária, viroses, caxumba e já existem alguns estudos também sobre dengue.

Homeopatia o efeito placebo

Muitas patologias consideradas como incuráveis pela alopatia, apresentam melhoras com o uso de compostos homeopáticos. Transtornos emocionais e respiratórios são os exemplos mais clássicos disso.

Médicos sugerem que o efeito placebo tem grande parcela de responsabilidade na cura de patologias através da homeopatia.

O efeito placebo, é qualquer efeito positivo que é atribuído a determinado composto ou procedimento que não derive diretamente de sua ação farmacológica. Qualquer tipo de tratamento pode ter uma ação de placebo, mas esse efeito só é comprovado se houver resposta positiva do paciente à essa intervenção.

Efeitos medicinais de compostos naturais, aliados ao efeito positivista do placebo, fazem com que a homeopatia funcione e traga melhoras de saúde aos mais variados de tipos de pacientes, diagnosticados com as mais variadas patologias.

Com isso, chegamos ao fim desse curioso e informativo conteúdo. Caso você ainda possua alguma dúvida sobre homeopatia, basta deixar um comentário que responderei o mais rápido possível.

Um grande abraço e até o próximo artigo.

Add your comment or reply. Your email address will not be published. Required fields are marked *